Loading...

0

Nenhum produto no carrinho.

#meuLadoBasic - Bia Paes de Barros

14/11/2016 14:40

#meuLadoBasic 3

BIA PAES DE BARROS

@biapaesdebarros

por Mariana Abreu Sodré

 

Bob Marley na caixa de som da lancha, vento no rosto, prancha de surf no pé. Vem a noite: legging de lamê com camiseta por dentro da calça, tênis de lona e cano alto. O celular lá longe, desligado. Amigos bem perto, e a cidade a quilômetros dali.

Foi Bia Paes de Barros, a impecável consultora de moda e estilo, que você vê aí na foto, quem descreveu as cenas acima. Coisas da vida real, coisas dela, que gosta de sentir “aquele quentinho no peito”, “de estar ao ar livre”, que relaciona “música com cheiros porque podem transportar para diferentes momentos da vida”, que ama fazer wakesurf (wakeboard com prancha de surf), que adoraria usar salto alto, mas não usa, porque não sabe andar sobre eles – e também porque é “alta o suficiente”.

O total é 1,78m. Mas parece mais. Talvez seja a magreza natural, “eu como de tudo, sem restrição”, ou vai ver é a cintura alta, que alonga a silhueta e ela adora. “Minhas amigas já tiraram tanto sarro de mim... Faziam piadas das minhas calças jeans de cós alto”. Bia só não dava de ombros porque é fina. E segura de si. Também não se importa quando a chamam de Sandy (personagem de Olivia Newton-John em “Grease”) por causa da legging de lamê , que ela não dispensa aos finais de semana, no interior de São Paulo, à beira da represa. “Eu comprei por causa dela mesmo. Acho o figurino incrível, sempre quis ser a Olivia Newton -John”, conta e ri.

Bia ri com frequência. Fala do marido e da filha, Duda, com brilho nos olhos. E há o Chico e o Leo, os dogs. Claro, Bia chora também. Umas lágrimas rolaram ao falar do filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, que ela transcreveu na adolescência, quando cursava teatro. Sim, Bia é mesmo bonita. E faz lembrar que elegância é state of mind que transborda. Tem mais, rola para baixo que só melhora ....

OS BÁSICOS DE BIA

Quais são suas premissas básicas?

Bom humor é a minha regra básica.

O que é básico pro seu dia a dia?

Adoro esportes e gosto de fazer todos os dias, ao ar livre. Estou em uma fase mais corrida, mas já pedalei muito, mountain bike. E aos finais de semana adoro fazer wakesurf na represa. A prática esportiva para mim é prazer, endorfina, vento no rosto.

O que é básico no seu estilo?

Conforto. E não estou falando de roupas largas porque hoje os tecidos, as malhas, tornam uma saia justa e um body muito confortáveis. Os tecidos são as grandes estrelas da moda, que está neste momento de silhuetas mais amplas, o que tem muito a ver com o desejo de liberdade que está no ar, com essa busca pelo conforto.

O que é básico no seu guarda-roupa?

Peças de cintura alta e marcada. Sandálias porque gosto muito de deixar os pés livres, sinto muito calor e também as acho sensuais. Prefiro as rasteiras pela praticidade; adoraria usar salto alto, mas não sei andar com eles e já sou alta o suficiente. Que mais? Ah, proporções. Gosto de vestir peças amplas com estruturas para dar um contraponto, um equilíbrio.

O que é básico na sua biblioteca ou filmoteca?

“Sociedade dos Poetas Mortos” foi um filme que marcou a minha vida, é um muito humano – ai, vou chorar – (chorou um tantinho). Fez muito sentido para mim na época em que assisti. Eu tinha 17 ou 18 anos, a idade de todos aqueles meninos. Me carimbou. Eu fazia teatro na época, transcrevi o filme inteiro, de tão forte que aquilo foi para mim. Tem a coisa do mestre… é uma grande obra. Poxa e adoro “Grease” (ri). Sou alucinada pelo John Travolta, sempre quis ser a Olivia Newton- John neste filme, o figurino era o máximo. Lembro até hoje quando achei a legging de lamê igual à dela. Não tirei mais desde então.

Que música é básica na sua formação afetiva?

Eu relaciono música com cheiros porque podem nos transportar para momentos da vida. Eu ouço muito Bossa n’ Marley, Bossa n’ Stones, reggae. E escuto todo outro tipo e estilo de música também.

O que é básico para seguir em frente?

Novidades. Sou novidadeira. Coisas novas me motivam. Adoro, por exemplo, mudar de casa. Desde que estou casada (há 15 anos), foram cinco casas. Os móveis antigos parecem novos quando em novas casas (ri). Desde pequena tenho isso. Eu mudava a decoração, a configuração dos móveis do meu quarto e parecia que tudo tinha mudado. Cada vez que minha mãe abria a porta do quarto, era uma surpresa (ri).

O que é básico para ser inteira?

Aquele calorzinho no peito, sabe?

O que é básico pra você?

Boas risadas, bons papos, amigos por perto. Gosto de gente. Minha família, nosso tempo juntos. De tranquilidade, que para mim é diferente de calmaria...

Deixe o seu comentário:





*Campos Obrigatórios

Compartilhe