Loading...

0

Nenhum produto no carrinho.

#meuLadoBasic - Lara Svensson

21/10/2016 08:30

MeuLadoBasic

Mulheres para as quais existimos

Lara Svensson

@larasvensson

por Mariana Abreu Sodré

Ela domina o who is who de sua geração. Formada em relações-públicas, Lara Svensson, 23 anos, é sócia da Turba, agência que divide com seu amigo de infância Stefano Carta e Jeff Ares. “Sempre fui muito sociável, desde criança. Estudava no St. Paul’s, e tinha amigos do Santo Américo, do Santa Cruz, do Vera, de todas as escolas, de todas as idades… meu pai não entendia como era possível tanto amigo”, conta. “Mas sou assim: só me sinto completa no coletivo”, completa.

“Brinco que queria ter estudado medicina, fazer algo bem inteligentão. Fiz RP, que é mais complexo do que parece, embora minha mãe tenha me desaconselhado. Ela dizia que eu já tinha a comunicação em mim, que era a oportunidade de explorar alguma outra habilidade”. Parece que esta foi a única vez que Lara foi em frente sem o aval da mãe. “Ela é tudo, preciso de um momento mãe todos os dias, é uma relação muito especial”. Pode–se dizer que Martina tem uma filha merecedora de orgulho.

“Trabalhei com a Fê Barbosa e foi muito importante para mim. Amo ela, é uma amiga. Depois fui para o site RG e foi mais aprendizado. Lá conheci o Jeff, um presente. Só estou onde estou por causa dessas passagens. O Ste é um amigo desde sempre”, detalha. “Tenho sorte sim”, afirma. E sabe usar a seu favor, assim como as roupas que veste.

Os básicos de Lara

Quais são suas premissas básicas?

Ser verdadeira. Eu prefiro falar na cara, brigar, do que não ser verdadeira.

O que é básico pro seu dia a dia?

Minha mãe. Preciso ter o momento minha mãe; não moro junto, vou todos os dias tomar café da manhã com ela. Também gosto de fazer algum esporte, de jogar tênis, de ir ao spinning... sou zero esportista, só preciso de uma endorfina. E bebo muita água, sou viciada.

O que é básico no seu estilo?

Alguns riscos, gosto de me arriscar. Visto tudo, mesmo quando é ousado.

O que é básico no seu guarda-roupa?

Branco, preto e cinza.

O que é básico na sua biblioteca?

“O Apanhador no Campo de Centeio” (J.D Salinger) é o meu livro preferido. E é também o livro preferido da minha mãe. Nós duas lemos muito novinhas.

Que música é básica na sua formação afetiva?

Tenho ouvido muita música brasileira, muito Novos Baianos. Gosto de The Doors, que é adolescência. Não gosto muito de eletrônico.

O que é básico para seguir em frente?

Ter o aval da minha mãe, pode ser?

O que é básico para ser inteira?

Eu não me sinto inteira sozinha.

O que é básico pra você?

Autoconfiança. Não que eu seja a pessoa mais autoconfiante do mundo, não sou, mas acho que ser é tão essencial quanto ser verdadeiro e correto.

Deixe o seu comentário:





*Campos Obrigatórios

Compartilhe